Bússola e orientação

Uma agulha magnética montada sobre um suporte adequado na horizontal de modo que possa girar é um instrumento, inventado pelos antigos chineses,  chamado bússola. A bússola serve para orientação, para encontrar a direcção do Norte. Como funciona uma bússola?

Figura 1.59 - Bússola e orientação pela bússola. Com a bússola podemos encontrar o norte magnético e, levando em conta a declinação magnética, o Norte geográfico.

A bússola que utilizámos é uma bússola comercial. Podemos, no entanto, construir uma bússola com facilidade. Como?

Figura 1.60 - Bússola construída com material acessível.

Os marinheiros, antigamente e ainda hoje, utilizam a bússola para se orientarem, isto é, para saberem onde está o Norte. Claro que também se podem orientar pelo Sol, de dia,  e pelas estrelas, de noite. Pelo Sol, porque nasce a Este e se põe a Oeste. Pelas estrelas, porque a Polar, por cima do pólo Norte indica a direcção do Norte  (no  hemisfério Sul há uma constelação que indica o Sul, o Cruzeiro do Sul).

Um outro problema prático, além do de  saber para onde ir, é saber onde se está. Para indicar a posição de um lugar à superfície da Terra usam-se dois valores ou coordenadas (ver figura 1.61):

A latitude é o ângulo medido para cima ou para baixo do equador. Varia de 0º a 90º  Norte (N) e de 0º a 90º Sul (S). Um paralelo é uma linha circular paralela ao equador  acima ou abaixo dele  cujos pontos estão todos à mesma latitude (figura 1.61). A latitude num certo sítio é a altura da estrela Polar: por exemplo, em Lisboa,  a latitude é 39º N (figura 1.62). Dizemos que o paralelo que passa por Lisboa é o de 39º N. Olhando para o Sol ou para as estrelas é possível saber também em que latitude se está.

Figura 1.61 - A Terra com indicação dos paralelos e meridianos. Os paralelos e meridianos são linhas, respectivamente, com a mesma latitude e longitude.

Figura 1.62 - Determinação da latitude pela altura da estrela Polar.

A longitude é o ângulo para a direita ou para a esquerda do meridiano de Greenwich, um lugar nos arredores de Londres, Inglaterra.  Varia de 0º a 180º, podendo ser este (E) ou oeste (O). Por exemplo, a longitude de Lisboa é  7º E. Um meridiano é uma linha circular perpendicular a um paralelo, que passa pelos dois pólos geográficos (que, já sabemos, são distintos dos magnéticos).

Hoje em dia, com a ajuda de satélites artificiais e de um pequeno aparelho portátil (GPS, iniciais de “Global Positioning System”) que capta sinais desse satélites é possível saber, com grande precisão, em que lugar do planeta se está, isto é, a latitude e a longitude. A tabela 1.5 mostra a latitude e a longitude de alguns lugares.

Local Latitude Longitude
Amesterdão 52º N 5º E
Dili 8º S 125 E
Lisboa 39º N 9º O
Londres 52º N
Luanda 9º S 13º E
Moscovo 56º N 38º E
Nova Iorque 41º N 74º O
Pequim 40º N 116º E
Rio de Janeiro 23º S 43º O
Sidney 34º S 151º E

Tabela 1.5 Latitudes e longitudes de alguns lugares da Terra.