A Lua

A Lua é o astro mais perto da Terra mas está relativamente longe, se compararmos a distância da Terra à Lua com as distâncias na Terra. Tem um tamanho muito menor do que o da Terra. A Lua está a 380 000 km da Terra e tem um raio de 1700 km, que é praticamente um quarto do raio da Terra (ver Tabela 1.1). O primeiro astronauta a caminhar na Lua, o norte-americano Neil Armstrong, fê-lo em 20 de Julho de 1969, um dia histórico para a Humanidade (figura 1.19). Os astronautas que foram à Lua demoraram cerca de 4 dias a chegar lá. Mas a luz do Sol (corpo luminoso) reflectida na Lua (corpo iluminado) demora só cerca de um segundo a chegar à Terra. Essa luz chama-se, como sabemos, luar.

Figura 1.19 – Astronautas na Lua, colocando instrumentos científicos. Ao fundo vê-se o módulo lunar que serviu para alunar.

  Raio Massa Distância à Terra Período de rotação Período de translação
Terra 6400 km 6,0 x 1024 kg 0 km 24 h 1 ano
Lua 1700 km 7,3 x 1022 kg 384 000 km 27,3 h 27,3 h
Sol 700 000 km 2,0 x 1030 kg 150 x 106 km 30 dias 2,2 x 107 anos

Tabela 1.1 Dados comparativos da Lua, da Terra e do Sol.

Desde 1972 que o homem não voltou à Lua. Mas a imagem e o som dos astronautas, quando estes emitiam ondas de televisão ou de rádio da Lua para a Terra, demorava cerca de um segundo a chegar até nós. Um raio laser (luz muito concentrada) enviada da Terra a um espelho que os astronautas deixaram na Lua demora também esse tempo a ir e o mesmo tempo a voltar.

A Lua anda em volta da Terra tal como a Terra anda em volta do Sol. A Lua também possui, como a Terra, um movimento simultâneo de rotação e translação. O período de rotação da Lua é igual ao período de translação (27 dias) de tal maneira que vemos sempre a mesma face da Lua. A outra face é a chamada face escondida da Lua... Só os astronautas que foram à Lua viram directamente a face escondida da Lua quando se encontravam em órbita da Lua (durante esse tempo interrompiam-se as comunicações com a Terra pois as ondas de rádio não atravessavam a Lua).

A Lua apresenta diferentes aspectos ou fases quando vista da Terra (figura 1.21):

Cada uma dessas fases demora cerca de uma semana, de modo que o conjunto das quatro fases demora um período lunar, quase um mês (o nosso calendário está pois baseado na Astronomia). Essas fases explicam-se pela posição relativa do Sol, da Terra e da Lua. Quando esses três astros estão em linha, há Lua Cheia ou Lua Nova, conforme a Terra esteja entre o Sol e a Lua ou a Lua esteja entre o Sol e a Terra. Os Quartos Crescente e Minguante correspondem a posições intermédias respectivamente entre Lua Nova e Lua Cheia e entre Lua Cheia e Lua Nova. Num jornal diário pode encontrar-se a fase da Lua nesse dia.

Figura 1.20 – Fases da Lua, associadas ao movimento de translação da Lua em volta da Terra.

A Lua entra em fenómenos curiosos, chamados eclipses. Nessa altura, deixamos de ver um astro no céu, pois foi tapado por outro. Os eclipses em que entra a Lua são de dois tipos, conforme se deixar de ver o Sol ou a Lua:

Existe um eclipse do Sol quando a Lua está exactamente entre o Sol e a Terra, de modo que a luz do Sol aparece tapada em alguns lugares da Terra (figura 1.21). O eclipse total do Sol só se observa numa zona limitada da Terra e dura só alguns minutos. De dia fica então de noite... Para uma descrição mais completa deste espectacular fenómeno ver adiante a Unidade 4, “A luz e a visão”. Porque é que não há sempre um eclipse todos os meses, quando há Lua Nova? Porque o plano da órbita da Lua em volta da Terra não é o mesmo que o plano da órbita da Terra em volta do Sol... Só há alinhamento dos três astros em certas ocasiões, que os astrónomos prevêem com precisão: ver a tabela 1.2 com os próximos eclipses do Sol.

Por outro lado, existe um eclipse da Lua (figura 1.21) quando a Terra está exactamente entre o Sol e a Lua. A Terra projecta a sua sombra sobre a Lua, tapando-a da nossa vista (observando o bordo da sombra da Terra sobre a Lua comprovamos que a Terra tem forma esférica!). Porque é que não há um eclipse da Lua todos os meses, sempre que há Lua Cheia? A resposta é semelhante à de trás. A tabela 1.2 inclui também os próximos eclipses da Lua.

Figura 1.21 – Fotografias dos eclipses totais da Lua (em cima) e do Sol (em baixo). Em cima, vêem-se cinco imagens da Lua tiradas sucessivamente. Em baixo, notar que os discos do Sol e da Lua têm praticamente o mesmo tamanho vistos da Terra.

Data Visível de
Eclipse total da Lua
21 de Janeiro de 2000 América, Sudoeste de Europa, Oeste de África
16 de Julho de 2000 Austrália, Sudeste de Ásia
9 de Janeiro de 2001 África, Ásia e Europa
16 de Maio de 2003 América Central e do Sul
9 de Novembro de 2003 América
Eclipse total do Sol
11 de Agosto de 1999 Europa, Norte de África
21 de Junho de 2001 Atlântico Sul, Sul de África
4 de Dezembro de 2002 Sul de África, Pacífico Sul, Austrália
23 de Novembro de 2003 Pacífico Sul, Antárctida

Tabela 1.2 - Próximos eclipses totais da Lua e do Sol.