Gradiva - Colecção Ciência Aberta


Título: VIDA - O Mistério da Sua Origem e Natureza

Autor: Francis Crick

Colecção: Ciência Aberta - 23


VIDA - O Mistério da Sua Origem e Natureza é um livro brilhante. O enigma, desde sempre, e sempre com o mesmo apelo, é o da origem da vida. A ideia, enunciada no século passado pelo sueco Arrhenius, é a da panspermia: sementes por toda a parte, dando nome ao conceito de que a vida se originou em milhares de esporos algures no espaço e foi tombando suavemente pelo chão do nosso planeta, propulsionada pela pressão que a luz exercia sobre eles. [...] o que fez que estas moléculas vindas do espaço não fossem afectadas por toda a radiação que atravessaram, e consequentemente pudessem germinar em milhares de frutos no cálido caldo oceânico, foi o facto de não terem chovido ao acaso: na realidade, vieram todas concentradas no porão de uma nave que qualquer civilização mais adiantada nos enviou, em correio expresso, para o planeta azul onde tudo parecia - à distância - tão promissor.

É isto pura ficção? Mas quem é que ainda se preocupa com semelhantes bagatelas? O que é que é puro, nos tempos que correm? Francis Crick não está interessado na linha divisória, está interessado na exploração de uma bela teoria (Watson recusava os primeiros modelos de estrutura do DNA porque não eram belos, e "o que for verdade terá que ser belo"), e aqui é que está a chave para a cintilação do livro: esta é uma exploração que exige uma enorme panóplia de apetrechos. Eles chamam-se química, biologia, física, matemática, geologia, astronomia, todos os campos e contracampos de que a ciência é feita e neste périplo se entrelaçam. Chamados a plenário para a discussão de uma ideia são a esta luz mais vivos, mais actuantes, muito mais saborosos do que no mero enunciado enciclopédico que é geralmente próprio da divulgação científica. Não estão aqui para nos ensinar nada, mas sim para taco a taco estudar um raciocínio. Não é muito melhor quando não nos apercebemos de que estamos na aula?

Clara Pinto Correio, Ler, 1988