NÃO ESCREVA NESTA LINHA!

 

FOLHA DE ENUNCIADO

TESTE EXEMPLO - zero

TESTE DE AVALIAÇÃO / HISTÓRIA 9º ano

 

Nome:___________________________________________Nº:___ Turma:___ Data:___/___/___

 

 

NOTA: A parte I deste teste é constituída por perguntas de escolha múltipla.

Deves responder a estas questões na FOLHA DE RESPOSTAS.

Preenche os círculos que correspondem à alternativa que julgas correcta usando um lápis (para poder alterar alguma resposta). Quando concluíres a prova, preenche os círculos respectivos com uma caneta preta.

BOM TRABALHO!

 

ATENÇÃO: nas perguntas 11 e 26 há mais do que uma opção correcta.

 

 

PARTE I

 

Benito Mussolini organizou, em 1919, um movimento que pouco depois transformaria em partido, a que chamou:

 

Partido Nacional Fascista

Partido Nacional-Socialista

Partido Fascista

Partido Socialista

Partido Comunista

 

Mussolini organizou ainda, com os seus partidários, uma marcha que, devido ao seu carácter, acabou por conduzir o rei de Itália a encarregá-lo de formar governo. Essa marcha fez-se sobre:

 

Roma

Milão

Veneza

Berlim

Paris

 

A marcha realizou-se em:

 

1922

1933

1929

1940

1910

 

Mussolini recorreu a milícias armadas para reprimir a oposição ao regime. Essas milícias ficaram conhecidas como:

 

Camisas negras

Boinas verdes

Comandos

S.S.

Cinturões negros

 

Foi Mussolini que pôs em marcha os princípios fundamentais do fascismo, entre os quais:

 

O militarismo, o ultranacionalismo, a exaltação da autoridade do Chefe e a existência de um partido único

O culto da força e da violência, a exaltação do nacionalismo, o combate ao socialismo e ao comunismo e a existência de vários partidos

O combate ao socialismo e ao comunismo, a exaltação do nacionalismo, a rejeição do parlamentarismo e o respeito pelos direitos do Homem

A defesa do socialismo e do comunismo, a exaltação do nacionalismo, a defesa do parlamentarismo e o desprezo pelos direitos do Homem

A defesa do socialismo e do comunismo, o ultranacionalismo, a defesa do parlamentarismo e o corporativismo

 

 

O ultranacionalismo significava:

 

A defesa da Nação como o valor mais importante, exaltando constantemente as glórias do passado

O desprezo da Nação como o valor mais importante, exaltando constantemente as glórias do passado

A defesa da Nação como o valor mais importante, exaltando constantemente o passado e o comunismo

A defesa da Nação como o valor mais importante, exaltando constantemente o passado e o socialismo

O desprezo da Nação como o valor mais importante, exaltando constantemente o passado e os Direitos do Homem

Por corporativismo entendia-se:

 

O sistema político através do qual se pretendia ultrapassar os conflitos de classe, unindo patrões e operários em organismos comuns

O sistema político através do qual se pretendia ultrapassar os conflitos entre socialistas e comunistas

O sistema político através do qual se pretendia pôr fim aos conflitos entre operários

O sistema político através do qual se pretendia pôr fim aos conflitos entre patrões

O regime político que vigorou em Itália na década de 20

 

Na prática, em todos os países em que foi aplicado, o corporativismo:

 

Proibiu as greves e os sindicatos livres, apenas para enfraquecer o movimento operário e subordiná-lo aos interesses do Estado e dos patrões

Promoveu as greves e os sindicatos livres, apenas para enfraquecer o movimento dos patrões e subordiná-lo aos interesses do Estado e dos operários

Proibiu os sindicatos livres, a fim de fortalecer o movimento operário

Promoveu as greves, com o objectivo de ultrapassar os conflitos entre comunistas e socialistas

Promoveu as greves, de forma a fortalecer o movimento dos patrões

 

O descontentamento geral da população alemã foi a principal causa do aparecimento do nazismo. Esse descontentamento devia-se:

 

Às imposições do Tratado de Versalhes, à inflação e à instabilidade política

Às imposições do Tratado de Paris, à inflação e à instabilidade política

À humilhação provocada pela assinatura do Tratado de Paris e à instabilidade política

Às imposições do Tratado de Versalhes, à situação económica e à estabilidade política

 

Foi nesse clima de descontentamento que se destacou um certo partido, chefiado por Adolf Hitler. O seu nome era:

 

Partido Nacional-Socialista

Partido Fascista

Partido Nacional Racista

Partido Hitleriano

Partido Comunista

 

ATENÇÃO: na pergunta 11 há mais do que uma opção correcta.

 

Na base do crescimento muito rápido desse partido esteve:

 

Uma intensa propaganda feita através dos jornais e da rádio.

O apoio financeiro dos grandes industriais.

A exaltação dos valores nacionais.

Liberdade de expressão.

 

Em 1932 esse partido acabaria por ser o mais votado nas eleições, tendo o Presidente da República nomeado Hitler como Chanceler, em Janeiro de 1933. A partir de 1934 passou a acumular o cargo de:

 

Chefe de Estado

Ministro da Agricultura

Ministro da Juventude

Ministro da Economia

Ministro das Finanças

 

« O nazismo foi o exemplo mais acabado de fascismo e totalitarismo. » Por totalitarismo entende-se:

 

O controlo total da sociedade pelo Estado e este por Hitler

O total desprezo pelo Estado e pelos judeus

Apenas o controlo da economia pelo Estado

Apenas o controlo da religião pelo Estado

O total respeito pela liberdade dos cidadãos

 

« A sociedade alemã passou a ser dominada, com o nazismo, através da propaganda e do terror.» O terror era feito através da polícia política, que era:

 

Gestapo

Stazi

SIS

KGB

Führer

 

Seguindo o exemplo italiano, o nazismo também "educou" a sua juventude, no sentido de a fazer obedecer cegamente ao regime. Para isso criou:

 

A Juventude Hitleriana

A Juventude Nazi

A Juventude Fascista

A Mocidade Alemã

A Mocidade Hitleriana

«De acordo com o espírito nacionalista, a política económica nazi baseou -se no princípio da autarcia.» Autarcia significava que:

 

A Alemanha defendia que devia ser auto-suficiente, quer em produtos agrícolas quer industriais

A Alemanha defendia a abertura das suas fronteiras a todos os produtos agrícolas e industriais estrangeiros

A Alemanha defendia a abertura das suas fronteiras a todos os produtos agrícolas vindos da Áustria

A Alemanha defendia a abertura das suas fronteiras a todos os produtos industriais vindos da Áustria

Nenhuma das opções é correcta

 

 

« Só os cidadãos beneficiam dos direitos cívicos. (...) Nenhum judeu pode ser cidadão. » Esta afirmação retirada do programa do partido de Hitler é representativa de uma das principais características do nazismo, que foi:

 

O anti-semitismo

O semitismo

O anti-racismo

O sionismo

O racionalismo

 

 

« Dentro da lógica racista, os nazis consideravam que os alemães, como povo superior, deviam dispor de um território tão extenso quanto as suas necessidades. » Esta frase revela que ao carácter racista do regime estava associado:

 

O expansionismoO antagonismo

O exibicionismo

 

 

Em Portugal, a partir de 1933, teve início um novo regime político, com características comuns ao fascismo, e ficou conhecido como:

 

O Estado Novo

A Ditadura Militar

A República

A Monarquia

A NEP

 

Já em 1930 tinham sido criadas as principais bases do novo regime, nomeadamente o partido único. Esse partido era:

 

A União Nacional

O Partido Nacional

O Partido Republicano

O Partido Socialista

O Partido Comunista

 

 

 

Outra das bases do novo regime foi a Constituição de 1933.

 

 

Observa a figura 1 que mostra, de modo simplificado, a forma como a Constituição organizou o poder político.

 

Figura 1

 

 

 

Faz a legenda da figura. À letra a) corresponde:

 

Executivo

Representativo

Consultivo

Judicial

À letra b) corresponde:

 

Judicial

Executivo

Consultivo

Representativo

 

À letra c) corresponde:

 

Assembleia Nacional

Assembleia da República

Assembleia Constituinte

Tribunais

 

À letra d) corresponde:

 

Governo

Câmara Corporativa

Tribunais

Juízes

 

À letra e) corresponde:

 

Tribunais

Autarquias

Câmara Corporativa

Cortes

 

ATENÇÃO: na perguntas 11 há mais do que uma opção correcta.

 

Entre o texto da Constituição de 1933 e a realidade houve uma enorme diferença, porque apesar da sua aparência democrática, o que sucedeu foi que:

 

A maioria das leis que a Assembleia aprovava não eram da sua iniciativa, mas do governo e quase automaticamente aprovadas.

Salazar conseguiu desviar para si alguns dos poderes que a Constituição reservava ao Presidente da República.

Os direitos e liberdades individuais dos cidadãos não foram minimamente respeitados e as eleições não eram livres.

 

 

 

 

O Estado Novo criou então organismos destinados à defesa e propaganda do regime, tais como:

 

A Legião Portuguesa e a Mocidade Portuguesa

A Legião Portuguesa e a Juventude Salazarista

A Legião Salazarista e a Mocidade Nacional

Os Legionários Salazaristas e a Juventude Fascista

 

O Estado Novo criou também mecanismos repressivos destinados, segundo ele, à segurança do regime, tais como a Censura e a PVDE. Este último mecanismo veio a ser substituído, em 1945, pela PIDE. O seu significado era:

 

Polícia Internacional e de Defesa do Estado

Polícia de Investigação e de Defesa do Estado

Polícia de Intervenção e Defensora do Estado

Polícia Investigadora e Defensora do Estado

 

Devido à acção da PIDE, milhares de opositores do Estado Novo foram enviados, muitas vezes sem julgamento, para prisões especiais ou para o campo de concentração:

 

do Tarrafal

do Linhó

de Caxias

de Peniche

 

As colónias portuguesas foram, além de um dos principais temas da propaganda nacionalista, um elemento fundamental da estratégia económica do Estado Novo, visto que:

 

Funcionavam, ao mesmo tempo, como mercado para escoamento de produtos agrícolas e industriais da Metrópole e como fornecedoras de matérias primas baratas

Funcionavam, ao mesmo tempo, como mercado para escoamento de matérias-primas e como fornecedoras de produtos agrícolas e industriais à Metrópole

Permitiam o escoamento de matérias-primas baratas da Metrópole

Permitiam o fornecimento de produtos agrícolas e, sobretudo, industriais à Metrópole

Nenhuma das opções é correcta

 

 

PARTE II

 

Comenta a frase seguinte em não menos de 10 e não mais de 20 linhas:

 

"Eu sou, de facto, profundamente antiparlamentar porque detesto os discursos ocos, palavrosos, as interpelações vistosas e vazias (...)".

 

Afirmação de Salazar a António Ferro, em António Ferro, Salazar, a Obra e o Homem, E. N. P., Lisboa, 1933.