Químico alemão, vencedor do Prémio Nobel da Química de 1918, pela síntese da amónia a partir dos seus elementos. Fritz Haber nasceu em Breslau a 9 de Dezembro de 1868 e morreu em Basileia, Suiça, a 29 de Janeiro de 1934.

Estudou em Berlim, Heidelberg, Charlottenburg e Karlsruhe. Ensinou Química na Escola Superior Técnica de Karlsruhe até 1911, data em que foi para Berlim, primeiro como professor de Química-física na Universidade de Berlim e mais tarde como director do Instituto para Química-Física Kaiser Wilhelm.

A investigação feita por Haber (1905-1911) do equílibrio entre o nitrogénio, hidrogénio e amónia possibilitou-lhe estabelecer a temperatura e pressão exactas, bem como o catalisador que optimizava a formação da amónia. A amónia assim produzida podia ser transformada em ácido nítrico por oxidação, usando o processo de Ostwald. Este ácido tinha por fim a fabricação de explosivos de nitrato e fertilizantes.

Carl Bosh desenvolveu as etapas industriais para o processo de Haber. A perfeição do processo de Haber-Bosh encorajou a Alemanha a entrar na Primeira Guerra Mundial. Durante a guerra Haber chefiou a guerra química e dirigiu o primeiro ataque com gás cloro em Ypres (1915). O regime de Hitler ordenou que se exilasse devido à sua ascendência judaica.

Haber investigou também a termodinâmica de reacções gasosas, a electroquímica (especialmente a redução electrolítica do nitrobenzeno), a composição de chamas e explosões de gás.