Físico de dupla nacionalidade, italiana e americana, vencedor do Prémio Nobel de Física de 1959, juntamente com Owen Chamberlain, pela demonstração da existência do antiprotão. Nasceu em Tivoli, um subúrbio de Roma, a 1 de Fevereiro de 1905 e morreu em Lafayette, Califórnia, a 22 de Abril de 1989.

Entrou na Universidade de Roma em 1922 como estudante de engenharia, donde mudou para Física, sendo o primeiro aluno doutorado de Enrico Fermi. Depois de cumprir o serviço militar no exército italiano, voltou à universidade como assistente, passando depois a Professor associado de Física.

Ao mudar-se para os Estados Unidos, Segrè torna-se investigador no Lawrence Radiaton Laboratory da Universidade da Califórnia. De 1943 a 1946 foi chefe de grupo no Projecto Manhattan, em Los Alamos, trabalhando, novamente, com Fermi no desenvolvimento da bomba atómica. Obteve a nacionalidade americana em 1944.

Segrè e Chamberlain demonstraram a existência do antiprotão, em 1955, ao conseguirem criar antiprotões (protões com carga negativa em vez da habitual carga positiva) na bevatrão, um poderoso acelerador. Esta descoberta foi um passo importante para a determinação da estrutura da matéria e da natureza do Universo.