Hélio


Balões,dirigíveis
Gás para detectar fugas, laser
Atmosferas inertes
Arrefecimento em centrais nucleares

Aplicações

O hélio, usado antigamente nos balões dirigíveis, é hoje empregue, assim como o árgon, na obtenção de uma atmosfera gasosa inerte, durante a soldadura de magnésio, alumínio, titânio e aço inoxidável. Terá provavelmente futuro no arrefecimento dos reactores atómicos como meio de transferência de calor, uma vez que é inerte e que não se torna activo durante a irradiação.

É também usado, misturado com o oxigénio, no tratamento da asma, porque se difunde mais rapidamente do que o ar nos canais apertados dos pulmões. Usa-se uma mistura semelhante nos mergulhadores a grande profundidade porque o hélio, sendo menos solúvel do que o azoto, não provoca a síndrome por descompressão (embolia gasosa), saindo em bolhas no sangue quando a pressão diminui.

No estado líquido utiliza-se para conseguir temperaturas muito baixas em certos dispositivos electrónicos ou para estudos na zona 0-5 K. O hélio é, ainda, um gás adequado nos termómetros de gás de baixas temperaturas, dado o seu baixo ponto de ebulição e o seu comportamento quase ideal.