Flúor


Acção Biológica

O flúor é um gás extremamente tóxico, não sendo aconselhável a exposição por mais de 8 horas num meio com 0,1 ppm. A partir de uma concentração de 3 ppm, o flúor é detectado pelo seu cheiro, sendo intolerável permanecer numa atmosfera a 50 ppm. A inalação de grandes quantidades de flúor pode causar asfixia bem como lesões várias nos pulmões. Quando em contacto com a pele, o flúor em elevadas concentrações causa queimaduras semelhantes às queimaduras térmicas.

Todos os compostos inorgânicos de flúor são bastante solúveis em água e extremamente tóxicos quando ingeridos, mesmo que em pequenas quantidades; cerca de uma grama de fluoreto de sódio pode ser uma dose fatal. Saliente-se a toxicidade do ácido monofluoroacético que é responsável pelo facto de algumas plantas tropicais serem venenosas.

É um dado adquirido que o flúor, quando em doses moderadas, i.e. cerca de 1ppm, contribui para a redução das cáries dentárias, no entanto quando em doses superiores a 2 ppm pode ter um efeito preverso na higiene oral. Normalmente, este flúor é fornecido através da água da rede pública de distribuição, devendo portanto ser mantida uma apertada e permanente vigilância da sua composição.