Magnésio


História

Em 1695, Nehemia Grew publicou um panfleto descrevendo sais encontrados em água de fontes minerais em Epsom, Grã-Bretanha. As propriedades medicinais deste sal atraíram alguma atenção; na Inglaterra foi denominado sal de Epsom sendo no continente chamado sal anglicum.

A magnésia alba (carbonato de magnésio) começou a ser comercializada em Roma por volta de 1700; o termo "magnésia alba" era utilizado em contraste com "magnésia nigra", o negro óxido de manganésio. Em 1755, J. Black distinguiu claramente entre magnésia e cal, ao mostrar que da primeira se formava um sulfato solúvel ao passo que da outra se formava um sulfato pouco solúvel. Quando, em 1808, Sir Humphrey Davy isolou o metal não puro, chamou-lhe "magnium". À época, os termos "magnésio" e "manganésio" eram usados indistintamente para denominar o manganésio, obtido a partir do mineral pirolusite (dióxido de manganésio) e o magnésio existente na magnésia alba. Para evitar confusões, o termo "magnésio" passou a ser utilizado para referenciar o elemento existente na magnésia alba; e "manganésio" para o elemento existente na pirolusite.