Manganésio


Os compostos de manganésio eram já utilizados na Antiguidade, sendo no entanto difícil afirmar quando se começaram a usar, uma vez que eram confundidos com os compostos de ferro e de outros elementos. Já Plínio, na era romana, menciona o seu emprego sob o nome de "magnes", considerando-o uma variedade de magnetite, i.e. um mineral magnético de ferro. Mais tarde, em livros do fim do século XVII, o termo "magnesia" era usado como sinónimo de óxido de manganésio. J. H. Pott (1740) provou que a pirolusite (dióxido de manganésio) não continha ferro, como se acreditava até então, e produzia sais bastantes diferentes daqueles obtidos a partir dos óxidos de ferro.

C. W. Scheele, em 1774, distinguiu a magnetite da pirolusite, tendo no mesmo ano o seu colaborador Johann Gottlieb Gahn conseguido isolar o manganésio. O seu nome deriva do latim magnes e refere-se às propriedades magnéticas exibidas pela pirolusite.