Níquel


O níquel foi isolado pela primeira vez por Cronstedt em 1751, tendo-se conseguido uma amostra do metal bastante pura em 1804 por Richter, que também fez uma descrição muito pormenorizada das suas propriedades. Em 1870, Fleitmann descobriu que a adição de uma pequena quantidade de magnésio tornava o níquel maleável.

Estima-se que na crusta terrestre o níquel não exceda os 0,01%, sendo o vigésimo quarto elemento mais abundante na Terra. Contudo, existem poucos depósitos naturais de níquel que justifiquem a sua exploração.