Germânio


Prisma de infravermelho
Reflector em projectores
Lentes de fotografia (grandes angulares)

Aplicações

O germânio é usado na indústria metalúrgica e no fabrico de dispositivos electrónicos de estado sólido. Aplica-se no fabrico de ligas com berílio, para aumentar a ductilidade, ou com cobre para melhorar a resistência química deste. Certas ligas usadas em soldaduras também contém germânio. Como óxido (GeO2), o germânio é um importante constituinte de vidros industriais com elevada transmissão de infravermelhos e índice de refracção.

O germânio desempenhou um papel vital no desenvolvimento da tecnologia do estado sólido iniciada a partir da descoberta do transístor em 1948. Em virtude de todas as investigações e experiências realizadas, pode afirmar-se que o germânio é o mais estudado e conhecido de todos os elementos. A descoberta do transístor despoletou um novo ramo científico e tecnológico. Foi com o germânio que se obtiveram os cristais quimicamente mais puros e perfeitos e as superfícies mais precisas. A ressonância de ciclotrão, um processo de determinar a massa efectiva de portadores de carga, foi observada pela primeira vez em monocristais de germânio. Outros problemas físicos, como a compreensão e a determinação da estrutura de bandas dos sólidos, foram possíveis por estudos e medidas em experiências com o germânio. Actualmente ainda, e cada vez mais, utiliza-se este elemento no fabrico de componentes electrónicas como díodos, transístores, sensores de luz e temperatura etc.