Ruténio


O ruténio foi o último metal da família da platina a ser descoberto. Em 1824, foram descobertos extensos depósitos aluviais de platina nativa na região dos Urais, na Rússia. Muito rapidamente a Rússia tornou-se o principal produtor daquele metal, desenvolvendo e aperfeiçoando a sua indústria metalúrgica. Vários cientistas, de onde se destaca G. W. Osann, da Universidade de Dopart, ocuparam-se do estudo dos resíduos insolúveis da platina. Em 1828, Osann anuncia a descoberta de novos constituintes desses resíduos, a que chamou plurano e rúten. Apesar destes trabalhos não serem considerados por alguns químicos de renome da época, como Berzelius, serviu de estímulo a outros como K. K. Klaus que, em 1844, descobriu o ruténio na Universidade de Kazan. O nome do elemento foi proposto por Klaus e deriva de uma designação latinizada de "Rússia", grande produtor destes metais e como reconhecimento do trabalho de Osann.