Paládio


Em 1800, formou-se em Londres uma sociedade entre W. H. Wollaston e Smithson Tennant, com o propósito de investigar e aperfeiçoar a tecnologia de refinação da platina. Estes dois investigadores ocuparam-se, durante quinze anos, do tratamento de minérios oriundos da América do Sul. A primeira operação da purificação da platina consistia na adição de aqua regia ao mineral importado. O composto precipitado resultante era então retirado e a solução excedente era inicialmente desperdiçada. No entanto, Wollaston ocupou-se do estudo desta solução, o que viria a dar origem à descoberta do paládio, em 1803, e do ródio, em 1804. Wollaston adicionou cianeto de mercúrio à solução, obtendo um precipitado amarelo. Após diversos processos de purificação procedeu a uma lixiviação do precipitado, obtendo um metal branco. A este novo elemento, Wollaston chamou paládio em honra do recém-descoberto asteróide Pallas.