Lantânio


História

O lantânio foi descoberto em 1839 por C. G. Mosander em Estocolmo, na Suécia. Mosander decompôs parcialmente uma amostra de nitrato de cério, por aquecimento, tratando o sal resultante com ácido nítrico diluído. Da solução extraída, foi então possível isolar uma nova terra rara a que Mosander chamou lantana e que significa "escondido". O trabalho experimental com o lantânio prolongou-se pelos três anos seguintes, embora os resultados não tenham sido publicados.

Durante mais de um século não se encontraram importantes aplicações para este elemento. O interesse pelo lantânio era apenas científico, limitando-se os investigadores a aperfeiçoar as técnicas de separação e purificação e a conhecer o seu espectro.

Embora possuindo uma configuração electrónica diferente da dos lantanídeos, considera-se incluído neste série, devido à semelhança de propriedades que apresenta com estes.