Cério


Pedra de isqueiro
Conversor catalítico
Lâmpada de arco de carbono
Tubo florescente

Aplicações

Comercialmente, o óxido de cério é o composto mais importante. Existem, todavia, muitas outras aplicações de misturas de cério com lantânio, neodímio e outras terras raras. Estas misturas podem ser usadas na forma de ligas metálicas, misturadas com óxidos e haletos, por exemplo.

O óxido de cério é utilizado no polimento óptico de alta precisão, sendo mesmo superior ao óxido de ferro tradicionalmente usado neste processo. Devido ao seu poder oxidante, o cério é utilizado em vidro que tenha de ser exposto a radiação alfa, gama ou X, ou ainda a fluxos de electrões, para evitar a sua descoloração por formação de ferro divalente. Era especialmente usado na produção de tubos de televisão a cores, onde o fluxo de electrões poderia destruir a qualidade da cor da imagem. O dióxido de cério é também utilizado para tornar opacos vidros fotocrómicos, em revestimentos cerâmicos, em óxidos refractários, em fósforos, cátodos, condensadores e semicondutores, e ainda como catalisador. Devido à sua baixa secção eficaz nuclear, o dióxido de cério é usado como diluente em óxidos de urânio, plutónio e tório.

A forma mais comum das ligas de cério-terras raras é constituída por 50% de Ce, 25% de La, 18% de Nd, 5% de Pr e 2% de outras terras raras. É produzida em quantidades da ordem da tonelada pela electrólise de sais fundidos (uma mistura de cloretos anidros de terras raras extraídos da monasite e bastnasite). Pequenas adições destas ligas aumentam a maleabilidade do ferro, a resistência mecânica a elevadas temperaturas de alumínio e de ligas de magnésio, melhoram a resistência à oxidação do níquel e ainda a dureza do cobre, diminuindo também a condutividade eléctrica deste último. Uma mistura de 30% de ferro com 70% da liga de cério é vulgarmente utilizado como pedra de isqueiros. As propriedades necessárias para esta aplicação são principalmente devidas ao cério. O cério é também utilizado em tubos de vácuo.

Misturas de óxidos e fluoretos contendo cério são usadas em arcos de carbono, aumentando a intensidade cerca de dez vezes, e melhorando o balanço de cores. A mistura de óxido de cério com terras raras é utilizado como catalizador no processo de "cracking" do petróleo, em materiais de polimento, como agentes impermeabilizantes e ainda como fungicidas na indústria têxtil.