Praseodímio


Auer von Welsbash foi o primeiro cientista a separar, em 1885, a didímia por cristalização fraccional dos nitratos duplos de amónio de dois novos elementos. Até então julgava-se que a didímia era um elemento simples, mas na realidade Welsbash provou tratar-se de uma mistura de neodímio com praseodímio. O seu nome deriva da cor verde dos respectivos sais.