Túlio


Ocorrência

O túlio é a menos abundante das terras raras que existem na Natureza (excluindo o promécio). No entanto, é sexagésimo quinto em ordem de abundância entre os componentes da crusta terrestre. É, de facto, mais abundante que alguns dos elementos mais familiares como o cádmio, a prata, o índio, o paládio, a platina, o ouro, o selénio, etc.

As fontes mais importantes de túlio são os minerais ricos em ítrio: xenotime, gadolinite, euxenite, samarskite, fergusonite, blomstrandine, loparite e itroparisite. Contudo podem-se encontrar vestígios de túlio em muitas das rochas e minerais mais comuns incluindo a apatite e a monasite, rica em cério. Os minerais ricos em ítrio são descobertos ocasionalmente em pegmatites mas existem mais frequentemente em concentrados de erosão juntamente com monasite.

A xenotime ocorre na Noruega, Suécia, Brasil, Suiça, Malásia, Coreia, Carolina da Norte e do Sul e no Colorado. A gadolinite encontram-se na Suécia, Noruega, Madagáscar, Texas, Arizona e Colorado. A euxenite encontra-se na Finlândia, Brasil, Noruega, Austrália, Madagáscar, Carolina do Norte e Idaho. A fergusonite na Gronelândia, Suécia, Noruega, Carolina do Norte e do Sul e no Texas. A samarskite em Madagáscar, Carolina do Norte e Ontário. A blomstrandine na Noruegae a luparite e itroparisite na Rússia. Destes minerais, o xenotime e a gadolinite são os que se tratam mais facilmente por acção química, originando os concentrados de terras raras mais puros. A euxenite também é uma importante fonte de túlio devido à sua importância para a extracção de urânio, tório e ítrio.