Lutécio


O lutécio foi isolado pela primeira vez na forma de óxido, em 1907, por G. Urbain, que separou a itérbia de J. Marignac em dois óxidos a que chamou lutécia e neo-itérbia. O último é actualmente chamado itérbia. Quase simultaneamente, A. von Welsbach realizou a mesma separação e baptizou os dois elementos de cassiopeio e aldebaranio. Até meados do século XX, o lutécio ainda era referido na literatura alemã como cassiopeio. Durante esse período, C. James, de New Hampshire, isolou a lutécia mas foi o último dos três a publicar as suas descobertas.

O nome lutécio deriva do antigo nome latim para a cidade natal de Urbain, Paris.