Tungsténio


Agricola em 1556 já se referia ao mineral lupi spuma (o nome significa espuma de lobo), hoje conhecido por volframite. Era assim denominado porque este minério, muitas vezes associado ao estanho, "come" o estanho nas reacções de extração, por inibir a redução dos seus óxidos, assim como um lobo come um carneiro. Muito provavelmente o nome alemão "wolfram" e o símbolo W são derivados desta fonte. Em 1781, Scheele mostrou que o mineral agora chamado de scheelite era um sal de cálcio de um novo ácido, a que chamou ácido tungstico. No mesmo ano, T. Bergmann reconheceu que o ácido tungsténico era um óxido de um novo elemento. O novo elemento deveu o nome de "tungsténio" a este mineral, que anteriormente era denominado tungsténio, do sueco para "pedra pesada". O tungsténio metálico foi produzido pela primeira vez em 1783 por J. J. e Don Fausto d'Elhuyar, dois irmãos químicos espanhóis, que reduziram o óxido com carbono.