Tungsténio


Eléctrodo para soldadura
Filamento incandescente para lâmpadas
Tubos de propulsão para foguetes
Ferramentas de corte e perfuração

Aplicações

Entre os seus compostos salienta-se o carboneto (WC), na produção do qual se consome cerca de 40% da produção mundial do metal. Este composto é extremamente duro e resistente, utilizando-se no fabrico de serras e outras máquinas cortantes ou perfuradoras, mós abrasivas, moentes, pontas de esferográficas, etc. A segunda aplicação de maior vulto do tungsténio é o fabrico de aços especiais, de maior dureza, de resistência à corrosão e melhor comportamento a temperaturas elevadas. Conhecem-se cerca de 300 ligas ferrosas comerciais, com percentagens variáveis de tungsténio. É também um composto importante de várias ligas não ferrosas, como as formadas com o cobalto e o crómio (stellite) de elevada dureza e resistência aos abrasivos e outras ainda à base de níquel ou de tântalo e nióbio. Todas estas ligas encontram aplicação no fabrico de peças e máquinas em que se exige elevada resistência em condições drásticas de trabalho.

As aplicações mais importantes do tungsténio metálico puro são o fabrico de filamentos de lâmpadas de incandescência, de contactos eléctricos, de eléctrodos para processos de soldagem a arco, de elementos para aquecimento em fornalhas de alta temperatura, de válvulas de propulsores de reacção de mísseis e aeronaves, etc.

Para os compostos são de referir as aplicações dos tungstatos de cálcio e magnésio, utilizados em lâmpadas de fluorescência, do dissulfureto como lubrificante para temperaturas elevadas e catalisador da indústria petroquímica, do trióxido e dos "bronzes de tungsténio" (produtos de redução dos tungstatos dos metais alcalinos e alcalino-terrosos) no fabrico de tintas, do ácido fosfo-túngstico como mordente em pigmentos, etc.