Bismuto


Provavelmente, o bismuto não foi reconhecido pelos Antigos Orientais, pelos Gregos ou pelos Romanos. Os primeiros registos inequívocos da existência do elemento datam da Idade Média, quando os Europeus tomaram consciência da sua natureza específica. Basil Valentine, no século XV, refere-se nas suas obras a uma substância a que chamava wismut. Já no final do século XVI, o mineralogista Georgus Agrícola latinizou esta nomenclatura para bisemutum. Contudo, o bismuto não era reconhecido como um elemento, o que só veio a acontecer no século XVIII, no seguimento das investigações de J. Pott, C. Geoffroy e T. Bergman.