Rádon


Em 1899, R. B. Ownes reparou que a radioactividade dos compostos de tório expostos ao ar era reduzida. Rutherford estudou este fenómeno, e descobriu que o tório emitia um gás radioactivo, que na altura ficou conhecido por "emanação do tório". Em 1900 F. E. Dorn verificou que o mesmo se passava com o rádio, e, em 1903, A. Debierne e F. O. Giesel reconheceram as mesmas "emanações" no actínio.

A semelhança no espectro destes gases com os do árgon, krípton e xénon, e a inércia química que estes manifestavam indicavam que as "emanações" continham um elemento da família dos gases raros. O elemento foi baptizado, em 1923, com o nome de "rádon".