Urânio


Combustível para reactores atómicos
Giroscópio
Corante do vidro

Aplicações

Antes do advento da energia nuclear, o urânio tinha um leque de aplicações muito reduzido. Era utilizado em fotografia e nas indústrias de cabedal e de madeira. Os seus compostos usavam-se como corantes e mordentes para a seda e a lã.

No entanto, a aplicação mais importante do urânio é a energética. Com este fim, utilizam-se apenas três isótopos do elemento (U 233, U 235 e U 238), com mecanismos de reacção ligeiramente diferentes, embora o mais utilizado seja o U 235. Na produção de energia nuclear há uma reacção de fissão auto-sustentada, que ocorre num reactor, normalmente imerso num tanque com uma substância moderadora e refrigerante - água. A água é aquecida e vaporizada pelo reactor, passando em seguida por turbinas que accionam geradores, para assim produzir energia eléctrica.

Os reactores nucleares de fissão pode ser bastante compactos, sendo utilizados na propulsão de submarinos, navios de guerra e em algumas sondas espaciais interplanetárias como as dos programas Voyager ou Pioneer.