Amerício


História

Este elemento foi pela primeira vez produzido em 1944/45 por Seaborg, James, Morgan e Ghiorso, por irradiação de plutónio com neutrões. Enquanto o primeiro plutónio obtido à escala industrial com vista à produção de bombas atómicas era produzido na fábrica de Hanford, estes investigadores descobriram os elementos 95 e 96. O trabalho demorou mais de um ano, e as dificuldades foram tais que um dos elementos do grupo sugeriu que os dois novos elementos fossem baptizados "pandemónio" e "delírio". Em vez disso ficaram "amerício" (por analogia com európio do grupo das terras raras) e "cúrio" em homenagem ao casal Curie.

A descoberta foi anunciada de uma forma original: questionado por estudantes durante um programa de rádio em Novembro de 1945, Seaborg sentiu-se suficientemente livre dos constrangimentos do período da guerra para revelar que as investigações desenvolvidas em torno da arma atómica haviam levado ao isolamento de dois novos elementos. O problema foi os jovens convencerem os seus professores de que isso era verdade. A incredulidade só seria desfeita mais tarde, com o anúncio oficial à comunidade científica.